Imprensa / Notícias do Setor / Espaço do Associado

05/09/2018



RIOMAR CONSCIENTE


RioMar consciente

Campanha que promove disputa entre duas iguarias sergipanas, é a aposta do RioMar Shopping para estimular o descarte de pilhas e baterias


Você sabia que quando descartadas de forma incorreta, as pilhas e baterias representam um grande perigo à saúde humana e ao meio ambiente? Ambas são consideradas lixo não biodegradável, que além de doenças como câncer e mutações genéticas, causam a contaminação do solo prejudicando a agricultura e a hidrografia.

O descarte inadequado de pilhas e baterias contamina o ambiente com substâncias tóxicas como cádmio, chumbo, mercúrio, manganês, cobre, níquel, lítio, cromo e zinco. Esses produtos agem no solo, cursos d'água e até no ar, caso haja queima desses materiais. Além do prejuízo ao meio ambiente, mesmo sem o contato direto, os resíduos químicos afetam a saúde. O solo contaminado, influencia no alimento que chega à nossa mesa causando uma série de doenças.   

 

Para estimular a consciência socioambiental da população sobre o descarte correto de pilhas e baterias, o RioMar lançou uma campanha com caráter regionalista, que promove uma disputa entre duas iguarias sergipanas.  Nela, o cliente poderá escolher entre as opções ‘amendoim’ e ‘caranguejo’, e descartar as pilhas e baterias na caixa coletora correspondente ao alimento que mais aprecia. A primeira caixa com maior volume de descarte será a grande campeã.

O tapume interativo – onde será realizada a coleta – fica no primeiro piso, no mall das Lojas Americanas, ao lado da Cosmética.

Vamos ver qual das duas iguarias será a escolhida pelo público como a mais saborosa?

 

Amendoim ou caranguejo? Qual a sua escolha?

As duas iguarias são características do nosso estado e motivo de orgulho para os sergipanos. O amendoim cozido, por exemplo, apreciado em qualquer ocasião por pessoas de todas as idades, é patrimônio imaterial de Sergipe. A semente da família da oleaginosas, pode ser consumida o ano inteiro. Após a colheita, o amendoim verde é cozido, transformando-se num petisco só encontrado em terras sergipanas. Presente em festas, praias, conversas entre amigos, basta comer apenas um para não parar mais de quebrar a casca do danadinho. É provar e se apaixonar!

 

Já o caranguejo, vai além de um prato típico: o crustáceo representa a identidade do sergipano e contagia os que chegam a Aracaju para morar ou passear.

Quebrar um caranguejo, é um ritual celebrado por amigos, parceiros, amantes, pessoas de todas as idades, classes e credos. Geralmente, o prato é acompanhado de vinagrete e de pirão preparado com o caldo do crustáceo cozido. As famosas patinhas de caranguejo ou a casquinha, que vem com a carne desfiada, também dois pratos apreciados por todos os aficionados pelo crustáceo.  Segundo o site www.aracaju.se.gov.br, o caranguejo foi eleito, por duas vezes, pela revista Veja, como o melhor prato da cidade de Aracaju.

 

Mas, a prática de saborear o crustáceo pode ser prejudicada pela falta de conscientização ambiental, que põe o caranguejo-uçá em risco de extinção. Em função disso, o Ministério do Meio Ambiente determina um período em que a captura de caranguejos durante a ‘andada’ – temporada de reprodução dos crustáceos –, fica terminantemente proibida. Neste período, machos e fêmeas saem das tocas para acasalar e desovar, episódios que acontecem na época das luas cheia e nova. Segundo o Ibama, nesse momento, os animais ficam mais vulneráveis à caça.

Para proteger o ícone da nossa culinária, a gente precisa ficar atento e não comprar nem consumir o caranguejo durante o defeso. E vale apostar na dica de esperar os meses que não têm ‘R’ – maio, junho, julho e agosto, para desfrutar a deliciosa iguaria!