Imprensa / Notícias do Setor / Espaço do Associado

07/08/2018



SHOPPING JARDINS RECEBE PONTO DE ATENDIMENTO PARA CADASTRO DE DOADORES DE MEDULA ÓSSEA


Shopping Jardins recebe ponto de atendimento para cadastro de doadores de medula óssea

De 7 a 11 de agosto, Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose) estará no centro de compras em Aracaju (SE), das 14 às 21 horas


Você sabia que o transplante de medula óssea pode ser a única esperança de cura para pacientes com leucemia, linfomas, anemias graves ou outras cerca de 80 doenças? Mas o primeiro passo para salvarmos uma dessas vida é bem simples: basta cada cidadão se cadastrar como doador voluntário.

Para ajudar você a colaborar com essa rede de solidariedade, o Shopping Jardins acolhe, de 7 a 11 de agosto, um posto do Hemose para o cadastro de doadores de medula óssea. O atendimento acontecerá ao lado da Cia do Terno, das 14 às 21 horas. O voluntário deve ter entre 18 a 55 anos, gozar de boa saúde e não apresentar doenças infecciosas ou transmissíveis pelo sangue.

Para o cadastro, basta apresentar um documento oficial com foto, preencher e assinar a ficha de identificação do candidato e o termo de consentimento e colher 4 ml de sangue. A retirada da amostra é feita na hora pela equipe do Hemose e encaminhada para a realização do exame HLA (Antígenos Leucocitários Humanos) que irá determinar as características genéticas necessárias para a compatibilidade entre o doador e o paciente.

O tipo de HLA será cadastrado no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome), vinculado ao Instituto Nacional do Câncer (Inca). Os dados do voluntário são cruzados com os dos pacientes que necessitam de transplantes e, em caso de compatibilidade, o doador é chamado para exames complementares e convidado a realizar a doação.

Solidariedade

É de grande importância que o voluntário mantenha atualizados os dados cadastrais. Para informar mudança de endereço ou telefone, basta o doador já cadastrado acessar o site redome.inca.gov.br.

Vale destacar que a doação de medula óssea não compromete a saúde do doador. E, caso seja encontrado um paciente compatível em outro município ou estado, o governo arca com as despesas de viagem e hospedagem para o doador e um acompanhante.

De acordo com o Inca (Instituto Nacional do Câncer), a probabilidade de se encontrar uma medula compatível entre pessoas não aparentadas é, em média, de uma pessoa a cada cem mil. Assim, quanto maior o número de voluntários cadastrados, maior é a chance de se identificar um doador compatível.

Dados do Redome apontam que existem apenas 4,6 milhões de doadores cadastrados no Brasil e quase 17 mil pacientes inscritos no Rereme (Registro Nacional de Receptores de Medula Óssea). Em Sergipe, apenas 40.829 doadores voluntários são cadastrados, o que representa menos de 2% da população, estimada hoje em 2,2 milhões de pessoas.